Internet no Brasil em junho

marca-dagua
O Google pode se sentir ameaçado pelo Cuil?
12 de agosto de 2008
marca-dagua
Reestruturando o Ponto Frio.com
14 de agosto de 2008
marca-dagua
Amigos.

Na semana passada estive no evento SMX Brasil e muito se falou sobre uma recente pesquisa da F/Nazca dizendo que no Brasil há 50 milhões de usuários de internet, o que representa 27% da população brasileira. Sinceramente, eu não acredito muito nesse número, apesar de torcer para que ele esteja certo. Fechamos o ano de 2007 com 32 milhões de internautas e não acho que na metade de 2008 esse número saltaria para 50 milhões, o crescimento assusta mas não é impossível.

Um estudo da Global Internet Trends – GNetT indica que 41,565 milhões de pessoas com 16 anos ou mais declararam ter acesso à internet em qualquer ambiente (casa, trabalho, escola, cybercafés, bibliotecas e outros locais). Esse número diverge um pouco da pesquisa da F/Nazca, isso na minha opinião, só mostra que mesmo sendo empresas sérias, a medição de web no Brasil ainda não está padronizada, sendo assim, cada instituto mede de um jeito e claro, isso aponta diversas respostas.

Entretanto, prefiro ser um pouco mais pé no chão e acreditar nos números publicados recentemente na newsletter do site Imasters sobre os números de junho/2008 sobre Internet residencial, que é a única métrica do Ibope ainda, porém, o IBOPE//NetRatings tem como meta começar a medir a web como um todo: residência, empresa, lan house, bibliotecas…

Segundo o estudo 22,9 milhões de pessoas usaram a internet residencial, número 1% menor do que o apurado em maio de 2008 e 26,9% maior que os 18 milhões observados em junho de 2007. A quantidade de pessoas com acesso residencial à internet, dado que é trimestral, continuou a indicar que 35,5 milhões de pessoas podem acessar a rede mundial de computadores a partir de seus lares.

Mesmo com uma queda em 36 minutos do tempo médio de navegação do usuário, o Brasil continua como o campeão mundial em hora navegada: 23h12 por pessoa.

Para Alexandre Magalhães, gerente de análise do IBOPE//NetRatings: “Essas pequenas variações são esperadas, pois Junho é um mês de 30 dias e isso impacta o tempo de utilização da internet no
mês, bem como o número de pessoas que têm a oportunidade de acessar a rede. A média de tempo diária por usuário, por exemplo, é a maior que já observamos.Esse crescimento está diretamente relacionado ao grande aumento no número de mulheres na internet brasileira (com exceção para o setor imobiliário, muito masculino), onde já representam quase metade dos internautas”.

O estudo mostra que as categorias com melhor desempenho por número de usuários residenciais em junho, comparando com maio, foram:
“Viagens e Turismo”, com crescimento
real de 7,4%, atingindo 6,614 milhões de internautas
“Casa e Moda”, que
cresceu 4,81% e recebeu 7,686 milhões de visitantes únicos
“Educação e Carreira”,
com 4,02% de aumento real no número de usuários e com visitas de 12,4 milhões de pessoas
“Governo e Empresas sem fins lucrativos”, que cresceu 3,4% em número de
usuários, atingindo 10,944 milhões de brasileiros,
“Finanças, Seguros
e Investimentos”, cujo crescimento real no período atingiu 1,06%, recebendo a visita de 9,158 milhões de brasileiros.

Por tempo de utilização por pessoa, as categorias com melhor desempenho anual foram:
“Entretenimento”, com crescimento de 25% no tempo por pessoa, atingindo 3h02min por internauta,
“Casa e Moda”, 24,3% de crescimento e 14min de consumo por usuário

“Finanças, Seguros e Investimentos”, com 18,3% de aumento no tempo médio por pessoa e 50 minutos de uso em junho.


Prefiro ainda acreditar que no Brasil há 32 a 35 milhões de usuários da internet, mesmo torcendo muito para que o número de 50 milhões seja real e que os anunciantes começem a acreditar nele!!!

“Quer participar da festa de lançamento do meu livro: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DIGITAL, em outubro? Mande um e-mail para felipemorais2309@gmail.com e se cadastre.
Enviarei um convite com maior prazer”

Abraços
Felipe Morais

Felipe Morais
Felipe Morais
Publicitário, apaixonado por planejamento digital. Começou a carreira, em 2001, atuando como redator publicitário, passando, em 2003 para a área de planejamento digital, onde atua até hoje, sendo reconhecido como um dos grandes nomes do mercado no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *