Apple Store no Brasil ?

Amigos.

O site IDGNOW publicou hoje pela manhã uma matéria no mínimo interessante.
A Apple, uma das marcas com mais fãs do mundo está desembarcando no Brasil. Infelizmente ainda não virá com sua loja conceito, tal qual tem em Nova York (assista ao vídeo na loja em: https://www.youtube.com/watch?v=eQjFPTQUU5g), mas os fãs da marca terão um gostinho de ter uma loja exclusiva no Brasil.

A loja ficará no Shopping Iguatemi, aqui em São Paulo, ponto alto do luxo paulistano. A Apple fechou uma parceria com a Fast Shop, outra loja super conceituada em produtos eletrônicos para trazer A2YOU ou Apple to you (Apple para você) ao país nos próximos dias.

Segundo o site, matérias publicadas no Estado de São Paulo e na Revista Joyce Pascowitch confirmam que até o final do mês de março, a loja estará em operação, vendendo produtos Apple e conquistando mais e mais fãs.

Para as pessoas que não costumam frequentar o Iguatemi, há outra opção como informa o site:
“O Grupo Pão de Açúcar e a Apple fecharam um acordo para oferecer dentro de lojas selecionadas do hipermercado Extra com stands similares aos usados nas Apple Stores originais com produtos da companhia”.

Desde o lançamento dos iMac, passando pelo iPod e iPhone, a Apple vem sendo estudo de caso de marketing de como uma empresa, com participação pequena na venda de computadores e softwares (dominado pelos PCs e Microsoft Windows) pode ter tantos fiéis, exibir tanto glamour e trazer um status diferente. Os produtos são mais do que adorados, são desejados, agregam valor ao seu usuário, lhes dão status de diferentes, modernos, antenados com o mundo. Eu mesmo conheço pessoas que não sabem mexer em nada no computador mas tem um iMac de última geração.

iPod, iPhone, iMac Air… novidades da Apple nos últimos 2 anos são produtos sucesso de vendas e com forte apelo aspiracional. Quem não quer ter um desses?

Confesso que em breve estarei comprando um iPhone. Em breve…

Aos fãs, contem os dias pois esse será um grande lançamento para aquecer ainda mais o dinheiro movimentado pelo alto mercado de luxo presente na cidade de São Paulo.

Abraços
Felipe Morais

O Marketing do SPFC trabalhando

Amigos.

Os Estados Unidos é o país mestre no marketing.
O Brasil é criativo, ganha diversos prêmios em Cannes, ok, somos um dos melhores países na propaganda, mas em termos de marketing os EUA estão anos luz na frente. Desculpem os profissionais do ramo, mas essa é a minha opinião (aliás, eu sou do ramo, sendo analista de marketing).

Na minha opinião, os EUA dão um baile no marketing no quesito licenciamentos de produtos.
Basta ver o que é feito nos lançamentos de produtos baseados nos grandes sucessos do cinema. Basta lançar um filme estrelado por Nicholas Cage e o mundo inteiro está atrás de camisetas, canecas, posters… isso sem falar nos grandes Blockbusters como Star Wars, Senhor do Anéis…

No Brasil, o São Paulo Futebol Clube (meu time de coração) está mostrando ser extramamente competente no marketing promocional.
Apostando na estratégia de ser a maior torcida do Brasil em 10 anos – proposta ousada, mas válida por já ser a 3a – o tricolor do Morumbi fechou no ano passado uma parceria com a Warner Bross visando licenciamento de produtos com a marca SPFC.

Alinhando a estratégia norte-americana, sempre forte nesse quesito, com a competência São Paulina, comandada por Julio Casares e tendo como ingrediente principal a paixão brasileira pelo futebol, o São Paulo está inovando a cada dia.

Em agosto de 2007, o time lançou a 1a loja temática do país com produtos exclusivamente tricolores. Em uma ação casada com a Reebok, empresa de material esportivo que patrocina e confecciona os uniformes do time.
A loja fica no próprio estádio e já vendeu em 6 meses cerca de 50 mil produtos. Sucesso absoluto.

Após lançamento dos bonecos do Pernalonga e Tazmania com as camisas do Tricolor, foi lançada ontem uma nova linha de produtos licenciados, que segundo o site Gazeta Esportiva.net “A nova coleção já está à disposição na loja oficial do clube, no estádio do Morumbi. Entre as novidades, o torcedor poderá encontrar produtos de vestuário, linha de cama e banho, de casa, papelaria e brinquedos.”
O site ainda trás o depoimento do gerente geral da Warner no Brasil, Marcos Bandeira sobre esse casamento com o tricolor:“O futebol mostra ser um segmento muito forte, o São Paulo é um parceiro sólido, tanto que sua marca já é a segunda mais forte para nossa empresa”.

Outra marca forte do tricolor é a 5-3-3 alusão aos 5 títulos brasileiros, 3 libertadores e 3 mundiais, algo que nenhum time no Brasil possui (aliás, apenas 6 times no mundo possuem mais de 3 libertadores e mundiais).
A marca 5-3-3 (que os São Paulinos esperam se transformar em 6-4-4 em 2009) tem produtos lançados também e ontem foi o lançamento da linha de calçados da marca.

Apostando em licenciamentos, o SPFC espera atingir a criançada fã dos personagens da Warner e “evangelizar” (para usar um termo de marketing puro) tornado-os fiéis ao time n decorrer de suas vidas, independentemente do time que os pais torcem. Entre garotos de 6 a 12 anos, o SPFC – devido as recentes conquistas de 2005 a 2007 é a que mais cresce, assim, o plano de ser a maior torcida do Brasil em 10 anos é válida.

Hoje o Flamengo possui 22 milhões. Corinthians 20 milhões e o Tricolor beira os 16 milhões de torcedores. É possível sim chegar a ser a maior. Não tirando torcedores de outros times – o que vai acontecer – mais pegando novos torcedores.

Para os tricolores de coração como eu que quiserem comprar os produtos, basta ir na loja RBK no Morumbi ou pelo site www.saopaulomania.com.br

Abraços e sucesso ao TRICOLOR!

Felipe Morais

Pepsi na web

Amigos.

Na última 6a feira, o site de Blue Bus publicou uma matéria sobre um lançamento de um novo produto da Pepsi – nos EUA – que me chamou muito a atenção e quis escrever sobre ele.

Se eu começar a falar que a Pepsi lançou uma nova bebida na Internet, muitos podem ler esse artigo e dizer: “ok, e daí?” afinal, os americanos sabem usar muito bem a web como veículo de comunicação e a Pepsi, uma marca jovem de refrigerantes (meu primeiro impacto ao lembrar da marca) claro que iria usar essa mídia para um lançamento, porém, vou reproduzir aqui o texto do Blue Bus e depois comentar, notem que há algo diferente nessa campanha…

Pepsi lança bebida nos EUA sem a ajuda da midia tradicional
A Pepsi trocou a midia tradicional (TV e impressos) pela internet e açoes alternativas na campanha de lançamento da Tava, uma linha de bebidas sem calorias. Está sendo divulgada atraves do site tava.com, de banners na web, promoçoes, sampling em lojas e de açoes menos comuns, como distribuir a bebida a funcionários de empresas de grande visibilidade, como MTV e Google. Noticia do New York Times destaca que a escolha da companhia de nao seguir a tradiçao é mais interessante pelo fato de que a bebida nao é destinada aos jovens, mas sim aos consumidores de 35 a 49 anos. Segundo a Pepsi, costuma-se pensar que esse grupo nao está online, mas há uma categoria de consumidores nessa faixa etaria que “renasceu” na era digital. “Eles sobreviveram às mudanças e aprenderam a se adaptar” – diz Frank Cooper, vice presidente de refrigerantes da Pepsi-Cola North America. Ainda de acordo com o NYT, planos de midia como esse para o lançamento do Tava, e outros semelhantes de empresas como Coca Cola, Kraft, P&G e Unilever, sao a razao pela qual os investimentos em midia online estao crescendo bem mais rapido do que em qualquer outro meio.

O que eu achei de muito interessante é que a Pepsi lançou o TAVA em uma campanha totalmente focada na web para consumidores de 35 a 49 anos, mostrando assim que a web nã é apenas consumida por jovens, aliás, uma miopia muito comum na comunicação digital.
Claro, que o acesso entre os jovens é maior que o acesso dos adultos, mas deve-se pensar que há 10 anos atrás, quando a web começou a crescer no mundo todo, eles tinham 25 a 39 anos e começaram a consumir. Era novidade, e tudo o que é novidade chama a atenção. Assim, os que acessaram a primeira vez a 10 anos atrás, tomaram conhecimento e tornaram uma rotina.

Se analisarmos friamente, sites de relacionamento, blogs, fotologs, comunidades online, mensageiros, fazem sim mais sucesso entre os jovens, pois se tornou o ponto principal de contato entre eles, entretanto os mais velhos consomem notícias, e-mail, entretenimento, conteúdo em geral.

Acho que vale muito para nós, planejamentos online, analisar essa campanha e começar a repensar as estratégias, analisando que o público mais velho está sim na web, talvez nem tanto no MSN, YouTube ou Orkut… mas em um UOL Notícias, Terra Invertia, MSN Dinheiro…

Abraços
Felipe Morais