Top Planejamento 2015 – Parte I

marca-dagua
Como se tornar um profissional de planejamento digital?
23 de junho de 2015
marca-dagua
Top de Planejamento 2015 – Parte II
25 de junho de 2015
marca-dagua
Amigos.

No dia 16/06 estive no evento Top de Planejamento promovido pela PS Carneiro, sempre com grande qualidade. Parabéns ao Paulo Carneiro, mais uma vez.

Nessa primeira parte, vou postar as minhas anotações da palestra da Ana Maria Nubié, Newton Nagumo e Agata Kim. Na 2a parte, postarei um pouco sobre o mercado de automóveis com o case da Hyundai e um pouco do estudo de como as pessoas compram carros, além de um estudo do Carlos Borges sobre Big Data e comportamento de consumo.

O pensamento estratégico na era da (des) conexão – Ana Maria Nubié
  • A tecnologia é o oxigênio da era digital
  • Tecnologia por si só, não é nenhuma grande inovação
  • Há mais de 950 empresas que trabalham tecnologia para marketing, no Brasil, as pessoas ficam eufóricas porque fazem uma campanha no Facebook. Há algo errado…
  • O consumidor é multieditor. Quais as consequências da comunicação pós produção? O comercial saiu da agência e agora? Essa é a nova comunicação, o consumidor é editor de conteúdo, estamos na era dos pró-consumidores
  • Estamos em uma nova sociedade. Ou abrimos os olhos ou morremos. A tecnologia chegou. As pessoas consomem e não vivem sem. Alguém sai de casa sem celular? Hoje é assim, amanhã não sairá sem o iPad, relógio com acesso a web, óculos… 
  • As marcas devem resolver problemas dos consumidores
  • A pergunta de hoje é: Qual o problema que a sua marca resolve?
  • Marcas sabem fazer propaganda, mas não sabem entender o consumidor. Pessoas perguntam. Quem responde?
  • O consumidor presta atenção em quem lhe dá atenção
  • Sirva primeiro, venda depois. Pessoas tendem a gostar de quem gosta delas
  • Marcas não respondem, não cumprem promessa, não ouvem pessoas. Por que elas vão comprar?
  • Pessoas não querem uma pasta de dente. Elas querem dentes bonitos
  • Consumidor é multitelas. Ele tem uma outra experiência e as coisas mudaram, ele não está 70% na TV e 4% no digital, porque então a mídia é dividida assim?
  • Criar perfil no Instagram, fazer post, promoção e não responder ao consumidor não é estar no digital, não é ter presença digital. Melhor não estar, não seja pioneiro no digital, isso não vale nada para os negócios, o que vale é estar e fazer as coisas direito


SXSW: O que de melhor aconteceu no evento – Newton Nagumo

  • As boas ideias serão sempre boas ideias. A tecnologia apenas ajuda a executar a boa ideia, mas não é a ideia
  • O MOMA tem ideias que apreciamos. Em Cannes, tem ideias que vendem
  • Ideias são feitas por pessoas que não entendem limites, não tem medo de ser feliz. Ideias são feitas por pessoas que entendem a fundo a ruptura!
  • Não tenha ideia dentro de caixa, inove. Um filme não é mais para o cinema ou TV. Ele é uma plataforma que pode estar em múltiplos canais
  • O que motiva as pessoas? É isso que deve motivar marcas! Marcas mexem no emocional das pessoas. Ou deveria ser assim
  • Boas ideias transcendem regras e caixinhas. Um livro vira um game, um app mobile, um filme. Um livro virou uma plataforma, isso gera ações em Redes Sociais, engajamento e vendas!
  • Boas ideias são resilientes: não se tem mais tempo para ciclos longos. Precisamos resolver problemas dos clientes de hoje
  • Boas ideias são pontes, só tem valor se consegue estabelecer conexão emocional entre pessoas e marcas


Insides SXSW – Agata Kim

  • Dificuldades criam ecossistemas para resolução de problemas
  • Acredita-se que a inteligência artificial será positiva para o mundo dos negócios
  • Case: www.myjibo.com, uma realidade para Janeiro de 2016
  • Google X é uma área do Google que desenvolve projetos como o Google Glass
  • O Google Glass falhou porque apresentou como algo finalizado quando era um protótipo
  • Escolhem projetos com grandes problemas, tecnologia desruptiva e soluções radicais
  • O tema do momento é: Não tenha medo de errar
  • Continue errando, continue aprendendo. Essa é a mensagem do SXSW


Felipe Morais
Felipe Morais
Publicitário, apaixonado por planejamento digital. Começou a carreira, em 2001, atuando como redator publicitário, passando, em 2003 para a área de planejamento digital, onde atua até hoje, sendo reconhecido como um dos grandes nomes do mercado no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *