7 passos para posicionar sua marca nas Redes Sociais

O Metaverso já é uma realidade
O Metaverso já é uma realidade
19 de julho de 2022
a lenda Jô Soares se foi.
A lenda Jô Soares se foi
8 de agosto de 2022

7 passos para posicionar sua marca nas Redes Sociais é um roteiro para você seguir e ter um melhor aproveitamento das plataformas para a sua marca, produto ou serviços. São caminhos que você pode percorrer para trazer resultados para a sua empresa, mas lembre-se, nem só de vendas vive o marketing digital.

O Brasil está entre os 3 países que mais acessam as principais plataformas digitais no mundo, entre elas as Redes Sociais: Google, YouTube, WhatsApp estão, ao lado de Instagram, Facebook, Twitter, Pinterest, Kwai, TikTok e LinkedIn as plataformas que o brasileiro está mais do que inserido. 

O que é infotenimento?Estima-se que 81%, dos 215 milhões de pessoas que moram no Brasil (dados IBGE), ou seja, 174,1 milhões de pessoas tenham acessado a internet em 2021. E não ache que esse número não será um pouco maior no final de 2022.

Estima-se, também, que 160 milhões de pessoas acessaram as Redes Sociais em 2021, ao menos uma vez no ano passado, entretanto, o país que figura entre os 3 que mais acessam em todo o planeta essas plataformas, é difícil imaginar pessoas que não acessem diariamente ao menos uma rede, portanto, a sua marca tem a obrigação de estar nas Redes Sociais, mas é importante saber como estar.

Se você é um, ou uma, pessoa que atua com estratégia, seja de marca, mídia ou conteúdo, sabe que dados e números são fundamentais para entender caminhos e até defender suas ações no universo digital, onde as Redes Sociais ganharam uma força gigantesca dentro das estratégias digitais. 

Nesse artigo você verá 7 passos para posicionar sua marca nas Redes Sociais, mas não estou cravando que essas são as verdades únicas, aprendi, e passo essa dica a você, que o nosso aprendizado vem de várias fontes, aqui é uma das inúmeras que você pode ler, compreender e tirar aprendizados e insights para os caminhos que você acredita ser o certo a seguir.

Por que posicionar marca é importante?

Posicionamento de marca é uma forma da sua empresa de destacar diante ao mercado como um todo. É o trabalho que busca influenciar a percepção dos consumidores em relação à marca, é, segundo Al Ries já dizia que “o marketing não é uma batalha de produtos, é uma batalha de percepções”, por isso, quanto melhor a percepção da sua marca, mais chances das pessoas se relacionarem com ela, e desse relacionamento surge a compra.

Vejamos alguns exemplos de posicionamento de marca:

  • Muitas empresas vendem móveis e eletrodomésticos, mas apenas a Casas Bahia tem dedicação total a você.
  • Muitas empresas vendem refrigerante, mas apenas a Coca-Cola abre a felicidade. 
  • Muitos bancos oferecem os mesmos serviços, mas apenas o C6 Bank é da sua vida. 
  • Muitas empresas vendem carros de luxo, mas apenas a Mercedes-Benz é a melhor ou nada.

Entende a importância de um bom posicionamento? As pessoas compram essa ideia e decidem pela sua marca ou produto, entendendo o quão relevante é para a sua vida, e entendendo essa relevância, reforço, é que começa o relacionamento.

Segundo o Blog da MLabs “O posicionamento de marca nas Redes Sociais é importantíssimo para que uma empresa possa conquistar mais relevância no mercado. Hoje em dia, as marcas podem ser comparadas a indivíduos: elas têm sua própria personalidade, gostos, opiniões e posicionamentos. Existem marcas engraçadas, antiquadas, alegres, sem graça, sérias ou diretas”.

E vamos ver aqui que um dos 7 passos para posicionar sua marca nas Redes Sociais é dar essa identidade para a marca nas Redes Sociais, obviamente, seguindo todo o estudo de Branding da mesma.

7 passos para posicionar sua marca nas Redes Sociais

Passo 01: Pessoas

Nada no marketing é mais importante do que entender pessoas. Eu uso muito essa frase em artigos, palestras, aulas e obviamente no meu dia a dia atendendo meus clientes “100% dos clientes são pessoas. 100% dos funcionários são pessoas. Se você não entende de pessoas, você não entende de negócios”, de Simon Sinek, autor do livro “Comece pelo por quê” (Editora Sextante). 

Para mim essa frase resume tudo o que penso sobre entender pessoas antes de vender. O grande problema que vejo noComo identificar personalidades que dialogam com o propósito da sua marca? processo de comunicação é que quando o cliente tem um problema, é natural se pensar em quais canais serão usados para comunicar, tirando o foco de para quem vai se comunicar.

Raras são as empresas, como a Coca-Cola que atinge pessoas de 8 a 80 anos, classe ABCDE, por isso, saber bem quem é o público é mais do que fundamental para o sucesso da marca.

Uma pergunta recorrente que eu respondo é sobre os altos valores de pesquisa. De fato, contratar os sérios institutos ou empresas focadas em pesquisa são caros, mas também o que nos é entregue tem muita qualidade, entretanto, se a sua marca não tem verba para isso, faça algo mais caseiro. Minha opinião melhor ter um caminho do que nenhum.

Usando o Google Formulários, você – ou sua equipe – podem criar um formulário de pesquisa online. Sem custo. Usando os canais digitais da marca, como site, Redes Sociais e principalmente o e-mail, é possível disparar essa pesquisa para todos que se relacionam com a marca de alguma forma. Se a empresa tem loja física, reproduzir essa pesquisa no ponto de venda é bem útil. Imprima algumas folhas, dê aos vendedores e peça que eles façam essa pesquisa na porta, depois que a venda foi, ou não concluída.

Passo 02: Branding

Jaime Troiano diz que “não se pode criar um plano de comunicação sem que a marca esteja no centro de tudo”, respeitosamente eu discordo um pouco do grande Jaime, com quem aprendi muito em seus livros e cursos, onde coloco pessoas ao lado de marcas, mas tirando esse detalhe, Jaime tem toda a razão.

As Redes Sociais, das marcas, deve ser uma extensão do que elas são. Uma marca com posicionamento sério como a Tiffany, por exemplo, não pode entrar na onda dos memes de gatinho, porém, a Guaraná Antarctica tem a obrigação de usar esse recurso para se comunicar com seu público.

Estamos aqui abordando os 7 passos para posicionar sua marca nas Redes Sociais e avalio que esses dois primeiros são os mais importantes, não à toa, os coloquei na ordem de importância seguindo o que eu acredito.

Passo 03: Problema que sua marca resolve

O marketing tem mudado a sua forma de ser trabalhado na vida das pessoas ao longo das décadas. O próprio Kotler mostra isso em seus livros Marketing 3,0,4.0 e 5.0. Uma das grandes mudanças é colocar cada vez mais o consumidor no centro de tudo, como no passo 1 foi dito.

Outro ponto é entender que as marcas não vendem produtos, mas sim soluções de problemas. Charles Revson, fundador da Revlon, umas da mais icônicas marcas de cosmético do mundo dizia que “nas fábricas produzimos cosméticos, nas farmácias, vendemos esperanças em potes”.

Já outro ícone da moda, Gabrielle Bonheur Chanel, mais conhecida como Coco Chanel dizia que “a minha marca ajuda as pessoas a definirem quem são elas mesmas”; a sua missão como estrategista é saber qual o problema a sua marca resolve e como ela faz isso, dai sim, transmitir nas Redes Sociais essa solução, mas calma, ainda não chegamos lá.

Lembre-se que o problema que o produto ou serviço soluciona é o que a empresa vende para ter lucro, porém, é preciso ter um pouco mais de romantismo para fazer essa venda, uma vez, que no branding entendemos que a conexão emocional é o ponto mais forte para uma marca se destacar perante as outras na mente do consumidor.

Passo 04: Defina um objetivo

“Preciso vender mais por isso vou para as Redes Sociais” uma miopia maior do que o célebre personagem Mr. Magoo tem. A essência da palavra social é a socialização, a conversa, o relacionamento, o convívio. Tudo isso gera vendas, mas nem só de vendas vive o marketing digital, lembre-se disso.

A regra básica do varejo é entender que quem quer apenas vender, nunca vende. Ricardo Nunes, CEO da Ricardo Eletro deu uma palestra no Fórum do Ecommerce em 2014 e até hoje essa palestra mexe comigo, nessa palestra ele diz que o bom vendedor em 2 minutos sabe tudo da vida do cliente, mas isso ele dizia na loja física, imagina como isso é hoje com ferramentas como Inteligência Artificial, Social Listening, BigData e Analytics. 

Passo 05: Pesquisa concorrência 

“Minha marca não tem concorrente…¨ perdi as contas de quantas vezes ouvi isso. No começo, eu até acreditei, mas anos de experiência me mostraram que isso nunca é verdade, no máximo, estamos falando com um cliente que tem um ego enorme. Não caia nessa.

Outro erro que já vi muito gestor e gestora cometendo é achar que a concorrência está bem abaixo do nível da empresa, ledo engano, que pode ser fatal. Precisamos lembrar que o Yahoo! avaliou que o Google não era uma boa ferramenta e que não seria concorrente a sua altura. Veja 22 anos depois o que ocorreu com ambas as marcas.

Todas as empresas em pontos fortes e fracos, fazem coisas interessantes e ruins, porém, esse interessante e ruim é uma percepção de cada um. Eu posso achar a campanha da Montblanc maravilhosa, por ser a minha marca preferida, você pode achar uma porcaria. Faz parte.

Analisar a concorrência não é mostrar quantos seguidores tem em cada perfil de Rede Social. É trazer inteligência. Mostrar ao cliente o que ele consegue ver sozinho não vai trazer absolutamente nada de valor para a sua estratégia. Qualquer pessoa que entra no Instagram da Hugo Boss, por exemplo, verá que tem 10,3 milhões de seguidores, que tem alguns destaques e que usa pessoas para vender produtos com fotos muito bem produzidas. Se a sua análise parar ai, você não fez nenhuma análise.

Estude a comunicação, os apelos de vendas, como as marcas respondem – se é que respondem – as pessoas, como interagem, se patrocinam ou não posts, taxa de engajamento e periodicidade, além dos pontos acima levantados.

Passo 06: Tenha uma estratégia 

“Fiz o cronograma de postagens…” isso não é estratégia, isso é cronograma. A estratégia se baseia na forma com a qual a sua marca vai se conectar com as pessoas através das Redes Sociais.

Dentro desse estudo das 7 passos para posicionar sua marca nas Redes Sociais é preciso que você pesquise muito sobre pessoas e marca, como os 5 passos passados mostraram isso, a partir disso, você vai traçar a estratégia, entretanto, não há como traçar isso sem passar por pontos fundamentais como: arquétipo da marca, tom de voz, como será a humanização da marca, elementos como cores, ícones e tipologia característicos da marca, como o laranja do Itau por exemplo. 

Não esquecer das hashtags e call to Action a ser usado. Isso faz parte de uma estratégia dentro da linha de conteúdo que você pensa em seguir.

Como dito no passo 02, não esqueça de avaliar o posicionamento da marca atual para entender como atrelar isso ao seu posicionamento nas Redes Sociais, o discurso, precisa ser o mesmo. Sempre!

Passo 07: Plano de conteúdo 

7 passos para posicionar sua marca nas Redes Sociais chegam ao fim, mostrando como colocar tudo o que você viu aqui, de forma estratégica, em algo mais paupável, onde o consumidor vai ver o que a marca quer passar.

No ponto 6 mencionei linha de conteúdo, o que vou descrever mais nesse 7o tópico. Na FM CONSULTORIA, temos uma metodologia que alinha Mapa de Empatia e Matriz de Conteúdo para gerar o que será publicado.

No Mapa de Empatia, conversamos com nossos clientes e envolvemos todas as áreas e pessoas. Quanto mais, melhor. Usamos essa metodologia para que as pessoas da marca se coloquem no papel dos consumidores e respondam as questões do mapa.

Com as questões do mapa em mãos, criamos a Matriz de Conteúdo separado em 4 quadrantes. Elencamos os temas em cada um dos quadrantes. Temos como base, entender que cada tema que surgiu no Mapa de Empatia, combinado com a Matriz de Conteúdo, tende a gerar até 10 desdobramentos em posts.

Isso significa que, se no Mapa de Empatia, se levantou 40 temas – e pode ter certeza que levanta bem mais – em um primeiro momento se tem 400 posts a serem feitos, isso sem contar com posts de oportunidade, datas sazonais, promoções da marca ou lançamento de produtos, por exemplo.

Fizemos um exercício, em 2019, na Officer Distribuidora que era um querido cliente nosso. Para ter uma ideia, envolvemos 10 pessoas da empresa e passamos 2 dias imersos com eles para fazer o Mapa de Empatia e Matriz de Conteúdo. Ao final do processo, tínhamos 825 posts. Não todos produzidos, mas uma lista de temas, onde a dupla de criação precisava apenas fazer a arte e traduzir o tema em uma redação publicitária.

Feito isso, ai sim você pode avaliar os canais a serem usados, que não vai fugir muito do Instagram e Facebook como principais, dependendo do seu segmento, o LinkedIn tende a ser mais forte e entender dentro do seu perfil de publico o TikTok, Pinterest e Twitter, mas isso é a última coisa a se pensar, não a primeira como temos visto por ai.

 

 

Compre já o livro que vai te ajudar a traçar as melhores estratégias de marca!

Planejamento de Marca no Ambiente Digital

Felipe Morais
Felipe Morais
Publicitário, apaixonado por planejamento digital. Começou a carreira, em 2001, atuando como redator publicitário, passando, em 2003 para a área de planejamento digital, onde atua até hoje, sendo reconhecido como um dos grandes nomes do mercado no Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 4 =