O poder da marca Anitta

Como o digital potencializa os valores de marca?
24 de março de 2022
Marcas conectadas
Marcas conectadas
7 de abril de 2022

O poder da marca Anitta é algo que precisa ser debatido. Você pode gostar, ou não, das músicas ou da pessoa Anitta, todo o respeito, até porque não faz também o meu estilo musical, eu sou uma pessoa fanática pelo Queen, muito fã de Metallica, Legião Urbana, Kiss, Eric Clapton e Seal, ou seja, as minhas bandas favoritas nada tem a ver com “no chão novinha” ou “show das poderosas”, nada contra, apenas questão de gosto.

Chegando perto dos 30 anos, Larissa de Macedo Machado é uma carioca nascida na Zona Norte do Rio de Janeiro; filha de uma artesã paraibana e de um vendedor mineiro, Larissa começou a cantar aos 7 anos de idade no coral da igreja católica do bairro Honório Gurgel, onde nasceu.

Aos 16 anos, fez curso técnico de administração e credita as aulas de marketing ao sucesso na carreira, algo que vamos falar mais a frente, uma vez que é a própria Larissa que comanda o marketing da marca Anitta.

Foi em 2010 que Larissa se tornou Anitta e até hoje mantém esse nome, mas não é sobre música que um site de marketing digital vai falar, mas sim da poderosa marca que a Larissa conseguiu construir e posicionar, chamada Anitta, cuja a fortuna, atualmente está avaliada em 533 milhões de reais. E vamos lembrar, ela fez 30 anos no último dia 30 de Março.

Poderosa

O “Show das Poderosas” virou, em 2012 rapidamente um hit no Brasil. De 4 aos 80 anos, era raro uma pessoa que não sabia do que se tratava quando ouviam:

Prepara que agora é a hora
Do show das poderosas
Que descem e rebolam
Afrontam as fogosas
Só as que incomodam
Expulsam as invejosas
Que ficam de cara quando toca

Anitta-show-poderosasE não era nada raro ver as pessoas dançando ao som comandado por Larissa, agora, já com a sua marca pessoal, Anitta. O sucesso foi tanto, que no mesmo ano Anitta lançou seu primeiro disco, com altíssimo sucesso, tanto que no ano seguinte o iTunes Brasil elegeu a cantora a “artista do ano” por ter sido a cantora que mais tempo ficou no topo do iTunes Brasil, ou seja, a música mais tocada do ano de 2013 na plataforma da Apple, foi “Meu Lugar” outro sucesso da cantora.

Poderosa e premiada

Os prêmios da cantora não pararam por ai. Teve Prêmio Multishow, Revelação do Ano pela APCA, uma das 100 celebridades mais influentes do Brasil pela Revista Forbes, foi a cantora brasileira mais jovem a representar o país no Grammy Latino, Prêmio Globo de música do ano, melhor cantora no prêmio Geração Glamour e por ai vai. Daria um post apenas com os prêmios dela, o que mostra que Anitta é uma marca reconhecidamente poderosa.

Show das poderosas, música que apresentou Anitta ao universo musical do Brasil, e posteriormente do mundo, teve mais de 130 milhões de visualizações no YouTube, sendo o clip feminino mais visto do país; Já o clipe de “Sua Cara” ficou em 5o na posição dos clipes mais vistos do mundo em apenas 24h.

Bang, bateu o recorde de vendas na pré-venda: 40 mil unidades, em um tempo em que o MP3  e MP4, dominou e destruir a indústria de CDs, DVDs e Vinil, que já tinha morrido com o CD, mesmo que ainda haja saudosistas por ai. Entre 2013 e 2014 Anitta foi a cantora, no Brasil,  mais procurada no Google e é dela a marca de ser a única cantora no país a ter 2 vídeos com mais de 100 milhões de exibições no YouTube. Ufa!

Parece que aqui é um texto de um fã da cantora, mas não é. Ao pesquisar referências para escrever, eu pude entender o porque, na semana passada, Anitta e foi a primeira latina a atingir o Top 1 do Spotify, plataforma de músicas mais usada no mundo.

São milhões de pessoas em todo o planeta decidindo ouvir “Envolver” música que ajudou a Anitta a chegar nesse patamar, um feito histórico para a música brasileira, que é extremamente rica em todos os segmentos, não apenas no Funk, ritmo em que ela ficou mais conhecida, mesmo que ela reconheça ter influencias de outros ritmos em sua carreira.

O poder da marca Anitta

Quando se analisa a Anitta como marca, é que podemos encerrar alguns pontos interessantes. Não é raro ouvirmos alguns clientes dizendo que desejam ser a nova Apple ou Netflix, desculpe, mas cada um tem seu lugar e não tem como ser o novo alguém. Na comédia aprendemos isso, cada um tem seu estilo de ser, falar e contar histórias. Nunca haverá outro Ronald Golias, Chico Anysio, Leandro Hassum, Mazzaropi, Danilo Gentili ou Fábio Rabin. Perceba que cada um deles tem o seu estilo, ponto que já levantamos aqui no branding: identidade

Sendo do Funk ou não, Anitta tem a sua identidade única e com ela vem a sua autoridade e atitude de marca. Se a sua marca quer ser poderosa, precisa ter uma atitude, não basta ficar parada esperando as coisas acontecerem. Anitta venceu pelo talento, claro, mas quantas meninas com, ou mais, talento que ela estão em suas casas, nesse momento, frustradas porque o “não” é mais recorrentes do que o “sim”? E isso faz parte da vida.

A Coca-Cola, Apple, Google, Mercedes-Benz, Zara não começaram gigantes, mas foram ousadas, tiveram atitude, quebraram paradigmas para ser o que são hoje, mesmo em mercados altamente comoditizados como os acima mencionados, ou você acha mesmo que a Mercedes-Benz é muito superior em design, conforto, tecnologia, segurança, desempenho e status do que a BMW ou Audi?

Fã no comando

O ponto principal que aqui podemos debater é sobre a relação da marca Anitta com seu público. São milhões de fãs, só no Instagram passa dos 60,8 milhões. Quantas marcas brasileiras tem esse número de seguidores?

Segundo o Ranking da Interbrand a marca mais valiosa do país é do Itaú com 782 mil seguidores; Bradesco com 432 mil e Skol com 578 mil vem na sequencia com as 3 marcas mais valiosas do país.

Apenas para efeito de comparação, as 3 marcas somadas chegam a 1,7 milhão de seguidores, o que representa 2.9% dos seguidores da cantora. Isso pode não dizer nada, mas acredito que diz muito, o poder de envolvimento da Anitta com seu público é algo impressionante, na semana em que ela não era a líder do Spotify, o Brasil se movimentou para que isso ocorresse.

Ter o público como o ponto principal não é uma jogada de mestre, é uma obrigação das marcas.

Quem não é visto, não é lembrado

No marketing usamos uma brincadeira que diz “falem mal, mas falem de mim”. Anitta, seja com sucessos, com polêmicas, com entrevistas ou mesmo com palestras fora do país é sempre assunto, ela está sempre na “boca do povo” e isso ajuda em seu reconhecimento e fortalecimento de marca.

Anitta não atua apenas no Brasil. Já palestrou em Harvard, já lançou música fora do país e já se associou a outros cantores, Anitta foge do tradicional de show-CD-programa de domingo. Anitta ousa, erra, acerta, falha, tem êxito. Anitta é criticada e elogiada a todo o momento, e gostando ou não, uma verdade: ela não para. Temos, no Rock bandas como Kiss e Iron Maiden que também ousam com produtos licenciados ou um exército como o Kiss Army.

Marcas que ficam no “arroz com feijão” nunca vão sair disso, e Anitta, em suas aulas de marketing aos 16 anos deve ter aprendido isso com êxito, pois o marketing é ousado, é preciso “sair da casinha” para ser diferente e fazer algo inusitado, depois o mercado vem atrás de você e você precisa se reinventar novamente. Parcerias com outros estilos ou mesmo outras bandas – ou músicos – não é nenhuma novidade.

Freddie Mercury, cantor de rock, lançou um álbum com a cantora de ópera Montserrat Caballé; Metallica e Kiss lançaram alguns tocando junto a orquestras filarmônicas. Exemplos que deram muito sucesso! Os “Amigos” aqui no Brasil que reuniu as 3 principais duplas sertanejas da década de 90 (Leandro e Leonardo; Zezé di Camargo e Luciano e Chitãozinho e Xororó) é outro case de muito sucesso!

Parcerias

boticario-labCollab; Co-Branding; Co-Criação. Chame como quiser, mas é preciso fazer onde marcas emprestam seus atributos umas para as outras. O Boticário tem uma coleção de cadernos de anotação com a Cícero, concorrente da Moleskine; Adidas lançou um tênis para montar junto a Lego e por ai vai. Anitta lançou diversas parcerias e isso a mantém não apenas sem evidência, como ajuda a conquistar novos públicos.

Por fim, qual história a sua marca está contando? Desde 2012 estamos vendo uma carioca, de nome Larissa, contar a história da marca Anitta. Na semana passada, essa marca conquistou mais um dos inúmeros prêmios e não vai parar por ai.

Hoje Anitta extrapola a sua versão cantora, sendo compositora, atriz, dançarina, empresária e apresentadora. Anitta é uma marca que tem um ecossistema próprio, onde Larissa, na pele de Anitta se torna a cabeça por trás da marca, algo que se faz necessário, pois as marcas não são ousadas, as pessoas que as comandam que sim.

Quer saber mais sobre Branding?

Compre já esse livro e saiba como construir e posicionar a sua marca na mente das pessoas.

Planejamento de Marca no Ambiente Digital

Felipe Morais
Felipe Morais
Publicitário, apaixonado por planejamento digital. Começou a carreira, em 2001, atuando como redator publicitário, passando, em 2003 para a área de planejamento digital, onde atua até hoje, sendo reconhecido como um dos grandes nomes do mercado no Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.